O Dalai Lama, líder tibetano e Ganhador do Prêmio Nobel da Paz, ensina: “A maior causa de sucesso na vida é a compaixão”.

E o que é compaixão?

Compaixão é um sentimento integrador, pacificador, sistêmico, que proporciona conexão entre as pessoas, fazendo as pessoas se sentirem conectadas. A compaixão proporciona o desenvolvimento do senso de Unidade.

Quando se desenvolve compaixão, a consciência se expande para um nível mais alto de percepção da realidade interior e exterior. Sendo você um ser humano que não quer sofrer, você procura ajudar o outro a não sofrer, pois o sofrimento do outro afetará você. Sendo assim, ajudar o outro a se livrar do sofrimento, é ajudar a você mesmo a não sofrer.

A compaixão é integradora e permite que criemos uma realidade supraconsciente, para que todos os seres humanos possam experimentar seus reais valores e potenciais.

Sem compaixão criamos uma realidade pautada apenas na sobrevivência, no interesse e benefício próprio, onde os outros não podem ser inseridos.

Sem compaixão somos fadados a construir uma realidade que flui pela contramão, ou seja, no sentido contrário do próprio funcionamento da Natureza. Que é a fonte da compaixão.

A Natureza e as energias do próprio Planeta, funcionam de maneira sistêmica. E quando não desenvolvemos a compaixão, somos forçados a viver uma vida apenas pautada na sobrevivência, e nos concentramos somente nas decisões que precisamos tomar a curto prazo, sem medir as consequências de médio e longo prazo. E isso limita o salto quântico da consciência.

Desenvolver a compaixão é subir para o primeiro grau da SupraConsciência. Um nível mais elevado de consciência que percebe a própria consciência de sobrevivência, em ação e reação. E surge dai, dá SupraConsciência de si mesmo, a ação evolucionária do Espírito, que é integradora, sistêmica e monâdica em sua própria concepção. É despertar para a realidade quântica-holográfica que cobre a materialidade e não materialidade da realidade. Fazendo-nos capazes de saltar de um nível de consciência limitada, para um nível mais expandido, que proporciona o senso de Unidade.

A falta de compaixão tem guiado o ser humano a tomar decisões sempre precipitadas, ou seja, de curto prazo, sem considerar as consequências de médio e longo prazo, demonstrando assim a limitação da percepção supraconsciente, que é puramente sistêmica.

Se observar mais profundamente a própria Natureza de nosso Planeta, naturalmente o ser humano agiria de maneira mais inteligente. O distanciamento da Natureza tem conduzido o ser humano a negar a sua própria natureza.

A Natureza possui seus próprios ciclos de autossustentabilidade, integrando todos os elementos do ecossistema em profunda dinâmica e harmonia. O Planeta é autossustentável e se organiza através das interações cíclicas e biogeoquímicas, que se dá através da contínua troca de energia entre os seres vivos e todos os elementos, dentro de um contexto onde todos os ciclos se combinam, o da água com a terra, o fogo com ar, do gás carbônico ao nitrogênio e oxigênio. Tudo isso interagindo de forma dinâmica e harmônica, dentro das cadeias alimentares, gerando vida, morte, e renascimento, continuamente. Descobrir o padrão que nos une será o Grande Salto Quântico que todos os habitantes humanos do Planeta precisam dar.

Os ciclos da Natureza fazem parte intrínseca dos ciclos da própria natureza humana, não há como negar, estão dentro de todas as coisas, em todos os seres vivos e elementos, em todos os lugares, dentro das famílias, das empresas, da economia e dos países do mundo inteiro. Pessoas nascendo e morrendo o tempo inteiro. Economias caindo e outras subindo, ou seja, há uma dança natural, talvez cósmica, um movimento que gera auto-organização constante, em todos os setores da vida, mesmo que não percebamos.

O Universo é auto compassivo, auto-organizador por natureza. Está dentro e fora de tudo, simultaneamente. Tudo dentro de uma dança cuja melodia se encontra dentro da própria estrutura de nossa composição, ou seja, o nosso DNA.

E é agora, nesse exato momento que você lê esse artigo, que vos convido a ir além, a dar um passo para dentro de si mesmo, para juntos, darmos o Salto Quântico Coletivo. Vos convido através dessa nova consciência buscar fazer a diferença. Buscar fazer a sua parte é se concentrar na sua busca mais profunda. Que é a autorrealização de si mesmo. A auto contemplação de sua própria natureza cósmica, que é integradora e está integrada à Matriz Universal que interliga toda à Vida. Todas as pessoas, todos os seres, todos os elementos e todas as energias.

Se dermos esse passo juntos, em plena compaixão e total supraconsciência, seremos capazes de viver em uma realidade mais significativa, onde o senso de Unidade será a própria Natureza da realidade.

Agradeço ao Universo por você existir e ser o ponto de intersecção que nos une à vida e toda a realidade cósmica que experimentamos.

Sigamos juntos e que sejamos mais compassivos com nós mesmos.

Akaiê Sramana

[Texto produzido após a leitura do livro “Organizações Auto-Organizadoras, de Gilberto de Souza e Francisco di Biase”, livro que recomendo a todos os buscadores da ciência da alma]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *